Para compreender os atentados na França: o terrorismo como alerta para a securitização da identidade muçulmana.

postado em: Imprensa, Pesquisadores, Pesquisas e Estudos | 0

Após um período de relativa baixa que separa os atentados ocorridos na França em meados de 2015, – conforme relatórios analisados da Polícia da União Europeia – e os de outubro de 2020, o professor de história Samuel Paty foi decapitado por exibir charges do profeta do islã em uma sala onde havia uma aluna muçulmana.

The violence dynamics in public security: military interventions and police-related deaths in Brazil

postado em: Imprensa, Pesquisadores, Pesquisas e Estudos | 0

Este artigo discute o uso mortal da violência como uma agenda de segurança pública, com foco na letalidade policial e nas intervenções militares. Por meio de uma revisão da literatura para a compreensão de conceitos – como “guerra”, por exemplo – utilizados nas agendas das políticas de segurança pública, o estudo busca enquadrar a noção de violência política, principalmente no que se refere às políticas de combate à violência no Brasil.

CORONAVÍRUS E PRISÕES: A importância do jumbo no sistema prisional paulista e as consequências de sua suspensão durante a pandemia

Por Thainá Sales e Eduardo Dyna

O Observatório de Segurança Pública (OSP) tem desenvolvido uma série de textos sobre questões carcerárias no Brasil, sobretudo no estado de São Paulo, durante a pandemia do coronavírus. Estes textos, escritos por membros e colaboradores do Observatório, têm como objetivo principal informar a população sobre as mudanças do sistema prisional no mundo pandêmico que, por serem diretamente ligadas à história das prisões paulistas, trazem novos desafios aos Direitos Humanos dos/das presos.as e detentos.as.

CINE-FRANÇAIS: Police, au coeur du chaos / Polícia no centro do caos

postado em: Imprensa, Visão Periférica | 0

O longa investiga o modelo de aplicação da lei e da ordem na França, expondo as cenas de violência durante as manifestações dos “coletes amarelos”, um movimento contra o aumento dos preços dos combustíveis e do alto custo de vida. Portanto, questionando se a polícia passou dos “limites” para conter os manifestantes.