Imagem padrão

Thainá Sales

Cursando o quarto ano da graduação de Relações Internacionais na Unesp/Campus Marília. Participante projeto de extensão Embaixadores Universitários da Francofonia SP (EUF), além de auxiliar na organização de eventos do Centro Acadêmico de Relações Internacionais Sérgio Vieira de Mello FFC Unesp. Em 2018, atuou como coordenadora-geral discente do Grupo de Estudos e Pesquisa em Organizações Internacionais (GEO). Em 2019 participou das discussões do Grupo de Estudos em Segurança Pública (GESP) e é pesquisadora do Observatório de Segurança Pública (OSP). Dedica-se, no momento atual, a pesquisa acadêmica, com ênfase no estudo dos Direitos Humanos na grande área das Relações Internacionais, tendo enfoque no estudo de refugiados e de organizações internacionais, na dinâmica da segurança pública. Busca o estudo paralelo de questões que envolvem Ciência Política, Linguística, Sociologia e Antropologia.

Onisciente: a série que ajuda a repensar a segurança pública

Por Thainá Sales: Onisciente (2020) é uma série brasileira da Netflix, dirigida por Isabel Valiante e Júlia Pacheco Jordão, que apresenta uma sociedade vigiada 24h por dia, gravada por micro-drones capazes de registrarem qualquer infração a segurança pública[2]. Assim, devido ao medo da população em relação ao sistema, o índice da criminalidade supostamente cai, e todas as irregularidades são registradas por um computador central, tendo níveis diferentes de punição (como multas ou a própria prisão). Deste modo, a “privacidade” dos indivíduos não seria quebrada, uma vez que a vigilância seria completamente automatizada. Funcionando há décadas, o sistema é um “exemplo” às cidades vizinhas, como uma referência no controle da criminalidade.