Categoria Sistema Penitenciário

Da gangue a hegemonia: uma cronologia da expansão do PCC

Nesta última semana, o Primeiro Comando da Capital (PCC) completou 27 anos, e sua existência ainda é cheias de mistério e incertezas. Desta forma, o intuito deste artigo é fazer uma análise cronológica do comando, desde sua origem, passando por seu desenvolvimento,  até os dias atuais. Assim, será investigados alguns períodos que marcaram a história do grupo com a  sociedade brasileira.

CORONAVÍRUS E PRISÕES: A importância do jumbo no sistema prisional paulista e as consequências de sua suspensão durante a pandemia

Por Thainá Sales e Eduardo Dyna O Observatório de Segurança Pública (OSP) tem desenvolvido uma série de textos sobre questões carcerárias no Brasil, sobretudo no estado de São Paulo, durante a pandemia do coronavírus. Estes textos, escritos por membros e colaboradores do Observatório, têm como objetivo principal informar a população sobre as mudanças do sistema prisional no mundo pandêmico que, por serem diretamente ligadas à história das prisões paulistas, trazem novos desafios aos Direitos Humanos dos/das presos.as e detentos.as.

Monitor da Violência: assassinatos caem em 2019, mas letalidade policial aumenta; nº de presos provisórios volta a crescer

Brasil registra 30 mil mortes violentas nos nove primeiros meses de 2019 — Foto: Cido Gonçalves/G1
Por G1: Dados de ferramenta criada pelo G1 mostram uma queda de 22% no número de homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte em 9 meses. Em contrapartida, as mortes decorrentes de intervenção policial cresceram no 1º semestre do ano. No sistema carcerário, a superlotação aumentou e o percentual de provisórios ficou maior.

Máquina de Moer Preto: Três ex-internos contam como o sistema socioeducativo do RJ se parece com um presídio

Por The Intercept Brasil: Do lado de dentro do enorme muro pintado de bege, a piscina só serve de enfeite. Ninguém pode usar. Ali não há João, Pedro, Marcelo: os nomes de registro foram substituídos por números de identificação. Quem não decora o seu número corre o risco de apanhar, já que não atenderá quando for chamado. A solução é anotar os dígitos nas mãos e repetir a informação até decorar.