O lugar da mulher negra nas policias

postado em: Sem categoria | 0

Imagens de mulheres na página oficial da Polícia Federal entre janeiro de 2018 a novembro de 2019. Das sete publicações, apenas uma retrata a mulher negra como policial, e ainda sim, essa publicação foi realizada a partir de um desenho e não de uma foto.

Na contramão das tendencias em todas as instituições de segurança pública, destaca-se o exemplo da Major Denise Santiago, comandante da Ronda Maria da Penha (RMP), unidade da Polícia Militar baiana criada em março de 2015.

A Ronda Maria da Penha possui bases em Salvador,  Paulo Afonso, Serrinha, Juazeiro e Feira de Santana, todas na Bahia. A RMP visitam diariamente mulheres vitimas que recorrem a justiça com a finalidade de manterem distancia dos seus agressores. Ao todo, a unidade conta com 71 policiais.

Outro exemplo é a da Coronel Helena Reis, a primeira mulher negra a assumir um posto de comando na Polícia Militar de São Paulo. Reis fez parte da primeira turma de mulheres a ingressar na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, sendo a unica negra entre as 15 ingressantes mulheres, no total de 195 ingressantes daquele ano. 

Em 2015, foi promovida a coronel, a primeira mulher a receber tal distinção, e passou a ficar responsável pelo curso de formação de sargentos. Em janeiro de 2015, o governador Geraldo Alckmin a nomeou como Secretária Chefe da Casa Militar, o mais alto posto da hierarquia militar do Estado de São Paulo, e Coordenadora da Defesa Civil do Estado de São Paulo. Tornou-se, com isso, a primeira mulher negra a deter um cargo no alto escalão do governo paulista.
Foto: Alexandre Carvalho / Portal do Governo

Apesar da constituição nacional preconizar os direitos iguais aos cidadãos, a realidade de desigualdade entre gênero, raça, orientação sexual, entre outros, é evidente na sociedade, sendo explicito nas instituições como as políticas, Universidade e também nas de segurança pública.

No caso das policias, observamos o tempo que se levou para a admissão de mulheres. A Academia de Barro Branco por exemplo, começou a aceitar o ingresso de mulheres apenas em 1989.

Entretanto, apesar

Luis Fernando Vascon
Seguir Luis Fernando Vascon:

Luis Fernando Vascon
Últimos Posts de