Grupo de Estudos em Segurança Pública da UNESP – GESP – tem desenvolvido pesquisas e realizado encontros como forma de expandir a reflexão sobre os problemas da Segurança Pública no espaço acadêmico.

O GESP iniciou suas atividades em 2005, por meio de leituras, discussões, exibições de filmes e publicações internas nas dependências da UNESP de Marília.

O GESP é aberto a toda comunidade acadêmica e demais interessados. Mantém um registro de todas as suas atividades, o material das leituras realizadas e uma biblioteca especializada em Segurança Pública. Estes materiais estão disponíveis para pessoas interessadas em ingressar no grupo e tomarem contato com as discussões realizadas anteriormente.


Março:

I: Biopoder: anátomo-política do corpo e biopolítica.

11/03: Cap. 1 “Os corpos dóceis” (pp. 125-152) e Cap. 2 “Os recursos para o bom adestramento” (pp. 153-172) da Terceira parte “Disciplina” de Vigiar e Punir, de Michel Foucault.

25/03: Cap. 5 “Direito de morte e poder sobre a vida” (pp. 145-174) de História da sexualidade 1: A vontade de saber, de Michel Foucault.

Abril:

II: Leituras contemporâneas da biopolítica.

01/04: “Post-scriptum sobre as sociedades de controle” (pp.219-226) e “Controle e Devir” (pp. 209-218). DELEUZE, Conversações, 1992.

15/04: “Introdução” (pp. 9-19) e “A politização da vida” (pp. 116- 122), “Os Direitos do Homem e a biopolítica” (pp. 123-131), “O campo com nómos do moderno” (pp. 162-175) da Parte 3: “O campo como paradigma biopolítico moderno” de Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua I, de Giorgio Agamben.

29/04: Necropolítica (pp.5-71), Achille Mbembe.

Maio:

III: Pensar as resistências, contra-condutas, heterotopias e insurreições.

06/05: “O que é a crítica? [Crítica e Aufklärung]” (pp. 1-29), de Michel Foucault.

20/05: “O sujeito e o poder” (pp. 231-239). In: DREYFUS, Hubert L. e RABINOW, Paul. Michel Foucault: uma Trajetória Filosófica. Para Além do Estruturalismo e da Hermenêutica, seguido de “As heterotopias” (pp. 19-30), de Michel Foucault (2013) e por “O Anti-Édipo: Uma Introdução À Vida Não Fascista” (2 p.) de Michel Foucault.

Junho:

03/06: “É inútil revoltar-se?” (pp. 77-81) em DE IV de Michel Foucault, seguido de entrevistas ao Le Nouvel Observateur (pp. 16-36) e a Farès Sassine (pp. 50-101) em O enigma da Revolta: Entrevistas inéditas sobre a Revolução Iraniana (2018).

24/06: Aula de 29 de fevereiro de 1984, Primeira hora (137-153), Segunda hora (155-167) do curso A coragem da verdade de Michel Foucault.

Foucault, Michel. A Coragem da Verdade. São Paulo: Martins Fontes, 2011 (CV)
Foucault, Michel. O Governo de Si e dos Outros. São Paullo: Martins Fontes, 2011 (GSO)
Foucault, Michel. Do Governo dos Vivos. São Paulo: Martins Fontes, 2014 (GV)
Foucault, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes. 1987 (VP).
Foucault, Michel. Nascimento da Biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008 (NB)
Foucault, Michel. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987. (AS)
Foucault, Michel. A História da Loucura. São Paulo: Perspectiva, 1978. (HL)
Foucault, Michel. História da sexualidade: Uso dos prazeres (8. ª edição, Vol. II). Rio de Janeiro: Ediçoes Graal, Ltda, 1999. (HSUP)
Rudé, George. A Multidão na História. Estudo dos Movimentos Populares na França e na Inglaterra. Rio de Janeiro: Campus, 1981. (MH)
Thompson, Edward Palmer. Costumes em Comum. Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Cia das Letras, 1998. (CC)
Moore Jr, Barrington. Injustiça. As Bases Sociais da Obediência e da Revolta. São Paulo: Brasiliense, 1987 (IN)

Quartas-feiras (quinzenal) das 14:30h às 16:30h

Sala 06 do Bloco I (Prédio Novo)
Av. Higino Muzi Filho, 737 – Mirante, Marília – SP, 17525-900