Categoria Pesquisadores

Livro: Microquímica do poder: Uma análise genealógica dos psicofármacos contemporâneos

Microquímica do poder
Esta obra apresenta uma pesquisa qualitativa em fontes bibliográficas e fílmica para traçar as singularidades políticas e subjetivas dos psicofármacos. O autor apresenta um jogo de contrastes, uma comparação entre as relações de poder-saber-sujeição que atravessam a psiquiatria em dois intervalos históricos distintos: a constituição e a consolidação da psiquiatria na França do século XIX e a medicalização das práticas e saberes psiquiátricos e, em especial, o uso asilar de substâncias químicas com algum efeito psicoativo (denominadas de de “protopsicofármacos”) na atualidade, sobretudo o Prozac, o antidepressivo mais receitado no planeta.

Estado de exceção, sociedade punitiva e novas configurações da violência no Brasil contemporâneo

Os perigos do processo de normalização do estado de exceção no Brasil são tratados neste livro, em trabalhos que discutem o problema das fronteiras, a persistência da violência policial, da presença do chamado crime organizado nas periferias, a potência da cultura juvenil periférica, temas tradicionais da pesquisa na área, e também exploram a insidiosidade das capturas políticas na forma da microquímica do poder e das armadilhas das redes sociais, temas com sabor de novidade.

O estado de exceção militarizado no Brasil. Zonas ambíguas entre forças armadas, polícias e milícias no contexto contemporâneo

Por Luís Antônio Francisco de Souza e Carlos Henrique Aguiar Serra: O presente artigo pretende refletir sobre as mudanças recentes no cenário político e institucional do Brasil. Uma das características predominantes do estado brasileiro é a tendência de tutela militar da segurança pública. Esta tutela vem se expressando, desde a ditadura de 1964-1985, de forma dupla: militarização das forças policiais e policialização das forças armadas. Ou seja, as forças armadas se colocaram como um elemento constitutivo da noção de ordem social e segurança do estado brasileiro. A tutela militar vem penetrando nas forças policiais, na segurança pública e em vários aspectos da vida institucional e política do país. Ou seja, além da já bem documentada politização dos militares durante toda a história da república, com o seu corolário intervencionista, estamos diante de uma militarização da política, processo inaudito na história do país. A partir de uma revisão bibliográfica e do debate público em torno do tema da segurança pública, discutem-se estas questões a partir da confluência da presença de militares na política e de grupos paramilitares organizados nas periferias urbanas. O artigo propõe que é possível compreender o momento presente a partir de um debate genealógico sobre estado de exceção como uma forma de governo de populações.

Faça seu cadastro na Rede de Pesquisadores – OSP

O Observatório de Segurança Pública elaborou uma rede de pesquisadores para troca de informações, divulgações de pesquisas, publicações, eventos e muitos mais. A nova plataforma possuí recursos semelhantes as redes sociais, como envio de mensagem entre os usuários, grupos, criação de postagens, entre outros recursos com foco estritamente acadêmico.