A República das Milícias – Soberania em Debate

Por Rede TVT: Vamos falar sobre as ligações perigosas e indecorosas do atual presidente da República e sua família com a milicia. Para comentar o tema, batemos um papo com o cientista político Bruno Manso, autor do livro A República das Milícias - Dos esquadrões da morte à era Bolsonaro.

Direitos humanos e ambiente urbano no Brasil: o uso de “drones” como instrumento de controle social

Para Foucault, as sociedades de soberania estavam vinculadas a uma forma de poder “que se exerce muito mais sobre a terra e seus produtos do que sobre os corpos e seus atos”, isto é, as relações de poder giravam em torno dos bens e da riqueza e não do trabalho, com obrigações morais hereditárias e um soberano fisicamente identificável e dominante.

Afastamento de promotoras das investigações da morte de Marielle Franco preocupa a Anistia Internacional Brasil

A Anistia Internacional Brasil acompanha com preocupação a notícia acerca do afastamento das promotoras Simone Sibílio e Leticia Emile da Força Tarefa criada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) para investigar os assassinatos da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes. As promotoras, que conduzem as investigações desde 2018, supostamente teriam optado voluntariamente pelo afastamento de seus cargos.

Não cadastre sua biometria na Droga Raia – e nem em qualquer farmácia

Por The Intercept Brasil: Pedir o CPF é coisa do passado. A onda das grandes redes de drogarias é, agora, pedir para os clientes cadastrarem suas digitais. O grupo Raia Drogasil – dono, como o nome sugere, das redes Droga Raia e Drogasil – começou uma agressiva campanha para conseguir a biometria de seus clientes. “É em atendimento à Lei Geral de Proteção de Dados”, argumenta falsamente a rede, em discurso replicado pelos atendentes.

Canal: Pensar Africanamente

Ferramenta de comunicação voltada para a produção e divulgação de conteúdos e informações sobre as histórias, culturas, tradições e ancestralidades africanas e afro-diaspóricas, com o objetivo de promover a soberania de negras e negros, e o enfrentamento ao racismo. Entendemos ancestralidade como o princípio orientador para analisar a realidade e projetar o futuro, base para a emancipação de negras e negros na afro-diáspora.